Drones são a nova ferramenta da Topografia!

Os drones são equipamentos portáteis que dispõem de recursos tecnológicos que tem facilitado o desenvolvimento de muitos projetos. Através destes equipamentos é possível captar imagens e informações de longas distâncias com precisão.

Com tantos recursos surge a questão de quanto pode-se alcançar em Acurácia. Neste post vamos falar sobre o surgimento dos drones e sua interferência nos modos convencionais da topografia. Saiba mais e boa leitura!

drones na topografia
01- Drones na topografia

Os Drones

Em muitos casos, os métodos mais tradicionais de topografia já estão sendo substituídos por métodos mais modernos e tecnológicos. Os Drones exemplificam bem esta situação atual. Estes aparelhos são equipamentos de pequeno a médio porte, com uma ampla diversidade de modelos presentes no mercado, desde o modelo mais simples ao mais sofisticado.

É possível encontrar modelos que possuem câmeras integradas dos mais variados tipos e recursos com configurações avançadas capaz de obter imagens e informações com alta precisão atingindo grande alcance.

Com tantos recursos em um único equipamento, alguns benefícios já são notados como o aumento da produtividade e uma economia de tempo no campo.

A Acurácia

A acurácia, é um termo usado para denominar a exatidão em explorar uma medida de proximidade ao valor verdadeiro de uma variável, é uma exatidão com mais precisão. É um conceito muito comum utilizado na área de Cartografia, muito comum utilizado quando quer indicar a qualidade de uma grandeza observada, um parâmetro estimado, ou até mesmo da qualidade geométrica de um produto.

Essa medida tem sido bem definida como sendo um grau de proximidade de uma estimativa com seu valor verdadeiro, enquanto expressa o grau de consistência da grandeza medida com a sua média, ela inclui não só os efeitos aleatórios, mas também os efeitos sistemáticos.

Até qual acurácia podemos chegar utilizando os drones?

Com a utilização dos drones, esses equipamentos com tecnologia avançada e somados a tantos recursos em um único equipamento, tem levantado a questão referente a qual acurácia seus produtos  podem chegar.

Para responder esta questão podemos encontrar no  mercado hoje drones com GPS de Navegação cuja acurácia é de 5 a 13 metros, ou seja, o erro imposto nas coordenadas pode variar para mais ou para menos.

O que podemos observar através destes dados é que esses drones, por si só, não são indicados para projetos cujo erro médio esperado não possa passar de alguns poucos centímetros.

Para corrigir estes possíveis erros referentes ao GPS de navegação embarcado na maioria dos drones, volta-se a topografia convencional, utilizando as técnicas de processamento de dados mais precisos, coletados em solo, ou seja, além das informações e imagens coletadas de forma área através dos drones, também é feito a coleta de dados em solo havendo uma interligação dos dados, que chamamos de pontos de controle.

Na prática são feitas marcações no terreno que sejam foto identificadas e bem definidas nas imagens, após fazer a marcação é usando em geral um GPS de alta precisão para medir as coordenadas precisas ou “acuradas” de cada uma destas marcações.

Feito isto, nos softwares de processamento das imagens de drones são medidas nas imagens as marcas dos pontos de controle, e informado a sua coordenada verdadeira, para então o software de processamento realizar um ajustamento das imagens com os pontos de controle, obtendo assim uma dado de altíssima acurácia.

Uma tecnologia inovadora no mercado foram os drones já embarcados com sistema GNSS RTK/PPK de altíssima precisão. Estes drones possuem a capacidade de medir com alta acurácia a posição da câmera no instante da tomada da foto, gerando um produto muito preciso, e sem a necessidade dos pontos de controle.

 

Afinal, qual a acurácia obtida com estes equipamentos?

Em geral, a acurácia final obtida pelos drones depende de alguns fatores:

Para tecnologias que usam drones + pontos de controle:

  • Boa distribuição dos pontos de controle;
  • Densidade dos pontos de controle;
  • Acurácia da medição destes pontos de controle.

Para tecnologias que usam drones com sistemas RTK/PPK:

  • Qualidade no levantamento das coordenadas da Base.

Atendendo a estes requisitos espera-se obter as seguintes acurácias no mapeamento planialtimétrico com drones, sempre em função da resolução da imagem, ou GSD (Ground Sample Distance):

  • Planimetria: 1x o GSD;
  • Altimetria: 2x o GSD.

Vamos a um exemplo:

Fazendo um voo e obtendo imagens com resolução, ou GSD de 3cm, provavelmente obteremos um ortomosaico com acurácia de 1x3cm = 3cm (na planimetria); e um modelo digital de superfície com acurácia de 2x3cm = 6cm (na altimetria).

Os drones na topografia

De acordo com os dados observados nota-se que tais equipamentos possuem um grande alcance, vários recursos de tecnologia avançada, e que em muitas aplicações podem até substituir os métodos convencionais da topografia.

A proposta dos drones é simplesmente ser mais uma ferramenta para o topógrafo, ou agrimensor, com o objetivo de aumentar a sua produtividade em campo, reduzindo custos, e agregando mais valor ao seu trabalho principalmente pela quantidade de informações que podem ser extraídas de um levantamento.

 

Fonte: https://www.santiagoecintra.com.br/blog/geo-tecnologias/os-drones-sao-a-nova-ferramenta-da-topografia-ate-que-acuracia-podemos-alcancar

veja também: TOPOGRAFIA COM DRONE X TOPOGRAFIA TRADICIONAL

Comentários

comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *